Pode-se encontrar significado na tragédia sem sentido?

Escola Municipal Tasso da Silveira no Bairro do Realengo no Rio de Janeiro

 

Pode-se encontrar significado na tragédia sem sentido?
Elaine Natale
Quando algo nos abala profundamente, seja perda pessoal, seja perda que afeta um grupo ou uma nação, por mais que as pessoas se compadeçam de nós, não é suficiente.  As palavras por si sós, por mais ternas que sejam, não dissipam a falta de sentido de um acidente, da doença ou da dor infligida pelo ódio.  Almejamos a promessa de que a vida é algo bem diferente.
Uma amiguinha que perdera uma colega num acidente de automóvel, comentou com tristeza: “Talvez eu pudesse entender o que aconteceu se ao menos eu percebesse um significado ou um propósito nesse acontecimento.” Ela estava se esforçando para encontrar significado em algo que não tem sentido.  O mal simplesmente não faz sentido.  Não existe propósito algum na morte, no sofrimento e na injustiça. Mas existe significado e consolo que podem ser encontrados no amor de Deus e na verdade espiritual sobre a identidade permanente do homem no Espírito.  E essa verdade espiritual está à nossa disposição, mesmo nas situações mais dramáticas.
A noção de que o homem é uma porção de matéria voltada à destruição final não é a verdade sobre o nosso ser. Deus, o Espírito, não criou o homem da matéria, sujeito ao azar e vítima das circunstâncias.  Em nosso verdadeiro ser, somos criados à semelhança de Deus, à semelhança do Espírito, para expressar eternamente Sua inteligência, bondade e amor.
Quando nos vemos diante de severas contradições a esse fato espiritual, a oração ajuda a sentir-nos próximos de Deus e a vislumbrar, sem nos deixarmos enganar pela dor, uma visão mais clara do ser do homem. O reconhecimento de que a verdadeira Vida do homem é Deus (que não pode, nem por instante, ser extinto) nos auxilia.  A oração proporciona inspiração e visão para seguir adiante, rumo ao futuro. Podemos sentir ordem e continuidade justamente onde o caos e a destruição parecem estar.
Nos primórdios de sua vida, a Sra. Eddy passou por momentos de agudo desespero.  Quando era jovenzinha, sentia-se muito ligada a um de seus irmãos, mas ele faleceu.  Ainda recém casada, o marido faleceu, e ela ficou sozinha, grávida.  Prostrada e com a saúde abalada, voltou para a casa de seus pais para dar à luz o filho. Cinco anos mais tarde, sua mãe faleceu também. A saúde da Sra. Eddy deteriorou-se a tal ponto que não conseguia tomar conta do filho.  Passados alguns anos, ele foi levado para uma parte longínqua do país, onde ela não poderia encontrá-lo.  A doença, a solidão e a pobreza foram escurecendo a sua vida.
A Sra. Eddy ansiava por respostas esclarecedoras para tantos acontecimentos desprovidos de sentido.  Ela estava certa da justiça e do amor de Deus e simplesmente não podia aceitar que Deus desejasse seu sofrimento. Ela não podia acreditar que Deus fosse incapaz de a ajudar. Tinha a certeza de que, em Seu infinito amor Ele lhe mostraria o significado da existência, o propósito não condicionado à sorte ou à impiedade das leis materiais.
Numa altura em que sua vida parecia extinguir-se, ela vislumbrou a verdade pela qual ansiava. Ela compreendeu a verdade de que o Espírito é TUDO, a única substância, a única causa.  Esse luminoso vislumbre da luz espiritual a curou.  Mais tarde, ela escreveu em Ciência e Saúde: “As duras experiências provenientes da crença na suposta vida da matéria, bem como nossos desenganos e sofrimentos incessantes, levam-nos como crianças casadas, aos braços do Amor divino. Então, começamos a compreender a Vida na Ciência divina.”
Ciência Cristã é o nome que ela deu a essa maravilhosa descoberta, a descoberta do poder infinito do Amor divino para restaurar, elevar e curar.  A Ciência Cristã, que desde essa ocasião já beneficiou milhares e milhares de pessoas, veio a ela gradualmente à medida que ela se devotava a uma compreensão mais profunda da Bíblia, em particular das passagens da vida de Cristo Jesus. Ela procurou o significado da crucificação e ressurreição de Jesus e descobriu que o verdadeiro significado da vitória de Jesus sobre a cruz é tão maravilhoso, que compreendê-lo eleva as vidas de muitas pessoas e as modifica maravilhosamente, a ponto de, até mesmo curá-las.
A Sra. Eddy entendeu a ressurreição de Jesus como sendo uma prova de que a morte não tem verdadeiro poder, uma prova de que o homem, a idéia espiritual de Deus, é indestrutível.  É esse o significado que todos nós buscamos: o verdadeiro significado do homem. E à medida que esse significado desponta em nós, ele cura.
Foi porque Jesus percebeu com clareza que Deus é a própria Vida e que a Vida é Espírito (não está na matéria), que ele foi capaz de curar.  Ele foi capaz de provar que sua Vida não podia ser extinta nem oculta. Na noite em que foi traído, mesmo antes da crucificação, ele disse aos discípulos: “Outra vez vos verei; o vosso coração se alegrará, e a vossa alegria ninguém poderá tirar.”
A promessa da alegria permanente feita por nosso Mestre está intimamente relacionada com nossa própria existência e propósito. Sua ressurreição vitoriosa projeta um facho de luz no significado do homem como idéia de Deus, infinita e indestrutível. Essa luz continua a nos iluminar quando tudo nos parece muito negro, mesmo quando tudo indica que é tarde demais.  Nunca é tarde demais para o amor de Deus nos alcançar e satisfazer à nossa necessidade.
À medida que cresce nossa compreensão de Deus e da relação do homem com Deus, percebemos com gratidão que a morte não é “verdadeira” em nenhum sentido definitivo.  Com nosso pensamento voltado para Deus, podemos sentir a reconfortante segurança de que é a Vida, não a morte, que é inevitável.  A Verdade desperta bem profundamente em nós aquilo que não pode ser destruído. Então o jugo da tristeza é desfeito por uma alegre e inabalável convicção da imortalidade do homem.

 

Artigo compartilhado por Orlando Trentini, CSB por e-mail em 08.4.2011, em solidariedade aos cidadãos do bairro de Realengo no RJ. Ele foi um dos fundadores da Igreja de Cristo, Cientista, de Porto Alegre.
*Este artigo foi publicado no Arauto da Ciência Cristã de fevereiro de 1991.
Todos os direitos reservados a Sociedade Publicadora da Ciência Cristã.
The Christian Science Publishing Society, Boston, MA, EUA.
Anúncios

Sobre cienciacristabrasil

A Ciência Cristã ou Christian Science foi descoberta por Mary Baker Eddy em 1866, nas proximidades de Boston, MA, EUA. Baseia-se na vida, palavras e obras de Jesus Cristo. Ela é um movimento religioso global. Está aberta a todos no livro: CIÊNCIA E SAÚDE COM A CHAVE DAS ESCRITURAS, de autoria de Eddy.
Galeria | Esse post foi publicado em Ajuda espiritual em oração, ARAUTO DA CIÊNCIA CRISTÃ e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s