Compaixão e espiritualidade na relação do profissional de saúde com o paciente.

Na disciplina de “Relação profissional de saúde e paciente” no curso de pós-graduação em Saúde e Espiritualidade, ministrada pela Doutora em Reumatologia, Tatiana Tourinho, ela inaugurou sua aula na FATO – Faculdades Monteiro Lobato, em Porto Alegre, com o elemento básico da relação profissional de saúde e paciente: a compaixão!

Foi um sublime privilégio travar conhecimento com alguém que dedica-se à prática clinica há mais de 25 anos, trabalhando com amor e abnegação, atendendo pacientes em hospitais públicos e no seu consultório.  Alguém que começou uma aula dando o tom mais tocante do relacionamento, cuja qualidade faz a diferença no cuidado com a saúde. A professora apresentou os renomados médicos americanos proeminentes nas pesquisas da importância da espiritualidade no cuidado com a saúde, como destaque para o Dr. Herbert Benson, de Harvard, e o Dr. Harold Koenig, da Universidade de Duke, dentre tantos outros pioneiros no dar cientificidade à espiritualidade, mesmo tendo sido formados dentro do paradigma reducionista e materialista da medicina clássica.

dra-tatianatourinhoAlém de sua busca incessante e pioneirismo em utilizar a espiritualidade como um elemento fundamental no trato com o paciente, comoveu-me muitíssimo quando a professora Dra. Tatiana, uma bahiana que escolheu Porto Alegre para viver e exercer sua profissão, disse que é do seu costume escrever bilhetinhos para pastores e padres, acerca das necessidades espirituais de seus pacientes. Isso não é o máximo da integração ciência-religião levada ao cotidiano da prática clínica?

Outro conceito retumbante, emergente e até com tendência a romper paradigmas, ainda mais realçado por uma renomada médica, à luz de sua prática clínica de 3 décadas: “A espiritualidade é uma necessidade social.”

hipocrates_(1)Compartilho também um conceito de saúde, com base no que ela pesquisou sobre Hipócrates, considerado o Pai da Medicina e trouxe para troca de ideias: “A saúde é o perfeito equilíbrio energético”. Na aula final, no domingo a tarde, a professora elaborou a seguinte paráfrase: “A saúde é o perfeito equilíbrio mental, emocional, moral e espiritual.”  Conclusão que passou pelo pensamento de Carl Jung: “O ser é um agente moral.” Bem como contemplou a história de Jesus, o melhor sanador do planeta, quando ele dirigiu-se aos seus discípulos dizendo que eles eram homens de pequena fé! Mas o divino Mestre, completou ensinando que basta ter fé, na qualidade de um grão de mostarda, já seria suficiente para transportar montes!

Gratíssimo Professora e Doutora, por todo o aprendizado de sua disciplina. É salutar aprender a relevância da espiritualidade no trato com o paciente, quando 93% da população brasileira acredita em Deus, e mesmo os ateus e agnósticos, todos tem uma espiritualidade inata, independente de sua orientação religiosa.

Grato por todas as pesquisas apresentadas, dentro da área médica, que estão correlacionando a espiritualidade e a religiosidade a maior qualidade de vida, ao bem-estar, a melhor resposta aos tratamentos, melhor resposta imunológica, a menores índices de depressão e maior longevidade, incluindo pesquisas bem recentes realizadas por renomados médicos brasileiros! Compartilho uma das conclusões destes pesquisadores científicos, em sua maioria médicos de diferentes áreas de atuação, como os cardiologistas autores da conclusão da pesquisa – “O impacto da espiritualidade na saúde física”:

“A influência da religiosidade/espiritualidade tem demonstrado potencial impacto sobre a saúde física, definindo-se como possível fator de prevenção ao desenvolvimento de doenças, na população previamente sadia, e eventual redução de óbito ou impacto de diversas doenças. As evidências têm-se direcionado de forma mais robusta e consistente para o cenário de prevenção; estudos independentes, em sua maioria de grande número de voluntários e representativos da população, determinaram que a prática regular de atividades religiosas tem reduzido o risco de óbito em cerca de 30% e, após ajustes para fatores de confusão, em até 25%.” (Guimarães e Avezum, 2007) O impacto da espiritualidade na saúde física – Guimarães et al. (2007)]

Na aula final de domingo, presentei a professora com um exemplar do livro-texto da Ciência Cristã: Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras, de autoria de Mary Baker Eddy, e um exemplar da revista O Arauto da Ciência Cristã. Ela aproveitou e leu para a turma um artigo de Mirta Castro, CS, Presidente da Igreja Filial da Ciência Cristã de Porto Alegre e Profissional da cura pela Ciência Cristã (Praticista), no qual lhe chamou a atenção uma frase onde Mirta referia-se que Jesus curava a doença no pensamento das pessoas.

Post de autoria de Jackson Guterres, originalmente publicado no blog Bemviver.me, re-editado e adaptado pelo autor para este espaço.
Anúncios

Sobre cienciacristabrasil

A Ciência Cristã ou Christian Science foi descoberta por Mary Baker Eddy em 1866, nas proximidades de Boston, MA, EUA. Baseia-se na vida, palavras e obras de Jesus Cristo. Ela é um movimento religioso global. Está aberta a todos no livro: CIÊNCIA E SAÚDE COM A CHAVE DAS ESCRITURAS, de autoria de Eddy.
Galeria | Esse post foi publicado em CIÊNCIA E ESPIRITUALIDADE, CIÊNCIA E SAÚDE, CIÊNCIA E SAÚDE COM A CHAVE DAS ESCRITURAS, CUIDADO DO PACIENTE, ESPIRITUALIDADE APLICADA, ESPIRITUALIDADE NO CUIDADO, MIRTA CASTRO CS e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s