Vivendo a Palavra inspirada

 

Genelle Austin-Lett

Tradução livre por Marcelo Palominio a partir da edição de 11 de janeiro de 2010 do Christian Science Sentinel.

 

“Como adeptos da Verdade, tomamos a Palavra inspirada da Bíblia como nosso guia suficiente para a Vida eterna.” Esta declaração de Mary Baker Eddy estabelece as bases para a Lição Bíblica da Ciência Cristã desta semana, intitulada “Vida” (Ciência e Saúde, p. 497, citação 2).

 

Uma das diversas idéias de apoio é o tema do pão. É este “pão da vida” o alimento físico ou os bens materiais como, por exemplo, o dinheiro? Ou é a Palavra de Deus, o Cristo, a Verdade, que nos inspira, corrige e nos instrui a como viver a vida (cf. 2 Tm. 3:16, cit. 1.)? A Lição aponta para uma dicotomia marcante sobre como a vida deve ser encarada.

 

Do Texto Áureo até a sexta seção, aprendemos que a Bíblia nos alimenta e sustenta: “Não só de pão viverá o homem, mas de tudo o que procede da boca do Senhor viverá o homem” (Dt . 8:3, Texto Áureo). Este versículo foi a defesa de Jesus contra o diabo, quando este tentou induzi-lo a transformar pedras em pães. Deste modo, Jesus confiou nas Escrituras para a sua sobrevivência.

 

A lição desta semana chama a atenção do leitor para a Bíblia na busca de respostas para cada aspecto da vida. A Bíblia não é apenas nosso guia “suficiente para a Vida eterna”, diz Ciência e Saúde, mas que ela é o “mapa náutico da vida” e “contém a receita para toda a cura” (p. 497, cit. 2, p. 24, cit. 4, p. 406, cit. 16). De que mais poderíamos necessitar?

 

Muitas posses materiais ou ocupações humanas tentam nos impedir de seguir a orientação de Jesus.

 

Cada seção ilustra como o conhecimento da Bíblia sustenta a vida. Por exemplo, o escriba Esdras reuniu os exilados que retornavam em frente a reconstruída represa de água de Jerusalém. Havia, sem dúvida, uma vontade não só de ouvir a lei de Moisés, mas de compreendê-la, de modo que não fossem repetidos os erros do passado. Do amanhecer ao meio-dia, Neemias, Esdras e os levitas explicavam cada sentença que liam (ver Neemias. 8:8, cit. 3). Essas pessoas, que retornavam do cativeiro na Babilônia, estavam empenhadas em tornar a Palavra de Deus o seu “mapa náutico da vida”.

 

Aprendemos que este mapa não é dependente da idade ou das “medidas mortais”, mas da compreensão espiritual (Ciência e Saúde, p. 595, cit. 7). O desejo de mais estudo e oração, não está sujeito à disponibilidade de tempo, porque “. . . a Mente mede o tempo de acordo com o bem que se desdobra” (Ciência e Saúde, p. 584, cit. 9).

 

O tempo não é o único elemento inibidor para a compreensão da vida. Muitas vezes as posses materiais ou ocupações humanas tentam nos impedir de seguir a orientação de Jesus. Em outro exemplo da Bíblia, um governante rico pergunta a Jesus como ele pode herdar a vida eterna. Jesus se utiliza da compreensão que aquele homem tinha das Escrituras e do modo como ele vivia os “mandamentos” em relação ao próximo. Jesus não inclui os quatro primeiros mandamentos, mas se utiliza daqueles associados com a questão de como ser um bom próximo. (O mandamento de cobiçar poderia muito bem ter sido excluído, porque é uma atitude mental não observável.) O homem responde que estava seguindo esses mandamentos desde a juventude. Mas ele fica muito triste quando Jesus convida-o a vender todos os seus bens, dá-los aos pobres e segui-lo, visto que o homem tinha uma grande riqueza. Naqueles dias, os judeus viam a riqueza como um sinal da graça de Deus, enquanto que a pobreza era considerada como um castigo pelos pecados. Será que, Jesus quis mostrar que ser um discípulo exige algo mais do que simplesmente a obediência aos mandamentos de Deus (cf. Lc 18:18-30, cit. 11)?

 

Era costume na época de Paulo que as pessoas portassem cartas de recomendação.

 

Que tipo de fé Jesus exige? É possivel cedermos numa atitude de preocupação para com a materialidade? Ou será que somos chamados para examinar as nossas prioridades? As palavras de Jesus sugerem que se exige um profundo desejo de abandonarmos a matéria como meio de segurança e confiarmos em Deus como a fonte de cada aspecto de nossas vidas, incluindo a cura.

 

Ciência e Saúde não diz que a Bíblia contém a receita apenas para uma cura, mas para toda a cura (cit.16). A cura da insanidade e da morte não deve ser descartada como impossível. Jesus falou com autoridade a um homem com um “espírito imundo” (ver Lucas 4:33-36, cit. 13). Paulo demonstrou a mesma autoridade, quando ressuscitou Êutico dos mortos (veja Atos 20:7-12, cit. 17). Não é esta uma indicação de que cada um de nós, ao nos confrontarmos com qualquer forma de doença, devemos falar com autoridade?

 

A Seção 6 nos ensina como ser “a carta” que os outros irão ler. Era costume na época de Paulo que as pessoas portassem cartas de recomendação. Assim, eles teriam entendido quando ele lhes disse que suas vidas deveriam ser uma carta sobre Deus que outras pessoas poderiam ler. A mensagem de Paulo ecoa a de Jeremias acerca de um novo pacto ou aliança a ser escrita em nossos corações (cf. Jer. 31:31, 33). Será que não é o caso de andarmos por aí com a Palavra de Deus tão profundamente escrita em nós que as pessoas possam assim aprender algo sobre Deus? Sobre a Vida? Sobre a Ciência Cristã? Este comprometimento com a Palavra vai bem além de uma simples declaração de nossa boca. Ela deve tornar-se quem e o que somos.

 

Cada um de nós pode entender a Vida através de um profundo exame das Escrituras e o que é a vida além desse entendimento.

 

Genelle Austin-Lett é diretor executivo da BibleWise.com e diretor deliberativo na San Jose State University, na Califórnia, EUA.

 

 

Vida:

 

A Bíblia:

2 Tm. 3:16

Deut. 8:3

Nee. 8:8

Lucas 18:18-30

Lucas 4:33-36

Atos 20:7-12

Jer. 31:31,33

 

Ciência e Saúde:

497:3

24:4

406:1

595:17

584:4

 

Anúncios

Sobre cienciacristabrasil

A Ciência Cristã ou Christian Science foi descoberta por Mary Baker Eddy em 1866, nas proximidades de Boston, MA, EUA. Baseia-se na vida, palavras e obras de Jesus Cristo. Ela é um movimento religioso global. Está aberta a todos no livro: CIÊNCIA E SAÚDE COM A CHAVE DAS ESCRITURAS, de autoria de Eddy.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Vivendo a Palavra inspirada

  1. jonan gregorio da silva disse:

    Agradeco essa maravilhosa mensagem, peco que continue orando por minha saude, no tocante a esse problema de saude da minha prostata, sei que Deus esta fazendo uma obra maravilhosa na minah vida,abracos. JONAN

    Date: Sun, 19 May 2013 12:06:31 +0000 To: jonangregorio@hotmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s