Manter-se conectado ao Provedor

Evelin Castellar Frizotti

Os autores bíblicos se utilizavam de elementos da natureza e de atividades e vivências peculiares àquele período para transmitir ensinamentos. Perceber o sentido espiritual das Escrituras Sagradas é de grande ajuda em todas as épocas. Por exemplo, o salmista Davi via na atividade de pastor ideias que esclareciam e consolidavam o conceito de Deus como condutor e protetor: “O Senhor é o meu pastor; nada me faltará” (Salmos 23:1). Quando leio este trecho: “O Senhor é a minha rocha…” (Salmos 18:2), imagino que uma rocha poderia significar para aqueles que estavam no deserto, sombra, abrigo das tempestades de areia ou um amparo seguro.

Para ensinar, Cristo Jesus também tomou exemplos de atividades diárias e elementos conhecidos pelas pessoas. O ofício da pesca teve uma conotação especial e enriquecedora, e dela podemos extrair muitos ensinamentos como, por exemplo, quando Jesus disse para Simão Pedro não temer porque seria um pescador de homens (ver Lucas 5:10). É salutar ver em todas as ocasiões a oportunidade de uma percepção mais espiritual, a qual, com toda certeza, nos conduz na senda do progresso.

Pude comprovar isso quando uma visaão técnica me ajudou a compreender melhor meu relacionamento com Deus e com o mundo, e a solucionar mais facilmente problemas profissionais e pessoais. Como oficial do Exército Brasileiro, gerente da área de Tecnologia da Informação, eu trabalhava com uma estrutura tecnológica muito complexa. A elaboração de projetos e suas implantações exigiam muito de nosso time. Nesses períodos, trabalhávamos além do horário normal.

Em um dia de muitos desafios no trabalho, quando recuperávamos algumas estruturas físicas e lógicas da rede de computadores, eu me sentia angustiada com decisões que deveria tomar no âmbito pessoal, no que se referia a minha filha, Emily. Na época, era necessário que ela ficasse em horário integral no colégio, o que extrapolaria meu orçamento.

Também me preocupava o fato de que a condução escolar não estaria mais disponível para levá-la à escola. Tudo indicava que eu teria de tirá-la daquele colégio. Chegou um momento do dia em que eu desejava estar em casa para orar com tranquilidade, pois na Ciência Cristã havia aprendido que a oração é o caminho prático para a resolução de problemas. Contudo, também sei que, como a oração é mental, não preciso estar em um lugar específico para orar. Percebi que naquele momento eu precisava colocar isso em prática.

Então, dirige-me para a sala dos “Servidores” (computadores que fornecem serviços para a rede de computadores) e observei que aquela estrutura de máquinas provia todos os serviços necessários para o funcionamento da rede, embora isso não fosse percebido pelos seus usuários.

Naquele instante, fiz uma analogia com minha relação com Deus. Reconheci que Deus era, é e sempre será o único Provedor, que fornece tudo o que é necessário, e que essa provisão se manifesta de forma infinita para cada um de nós.

Ponderei mais sobre o assunto e vi que aquelas máquinas proviam para os usuários todos os serviços da rede, de diversas maneiras e através de várias rotas, mesmo sem eles saberem como. Então, senti, de todo o coração, que Deus, o meu Provedor, também já havia suprido minhas necessidades, mesmo antes de eu perceber de que forma.

A solução já está sempre disponível, só precisamos descobri-la, como diz este trecho de Ciência e Saúde: “A Ciência revela a possibilidade de se conseguir todo o bem, e põe os mortais a trabalhar para descobrir o que Deus já fez; mas a falta de confiança em nossa habilidade de conseguir o bem desejado e produzir resultados melhores e mais elevados, muitas vezes impede que experimentemos nossas asas, e desde o início torna certo o fracasso” (p. 260).

Dei-me conta de que começava a mudar meu estado mental e a perceber a realidade de nossa verdadeira ligação com Deus. Reconheci, também, que nosso “link” (ligação) com o Amor divino não falha, não sai do ar e nada pode interromper nosso acesso a Ele. Lembrei-me destes versículos da carta de Paulo aos Romanos: “Porque estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as cousas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus…” (8:38, 39), e entendi que nada pode deter o fluxo de amor que vem de Deus a todos os homens e mulheres.

Como foi maravilhoso sentir essas verdades em ação! Despertei para o fato de que nessa conexão inquebrantável com Deus não há vírus nem intrusos, como pensamentos de medo, dúvida, tristeza, frustração e crise. O sistema de segurança é perfeito e esse acesso é gratuito e disponível a todos, em todos os lugares.

Senti uma tranquilidade profunda e saí daquela sala renovada e em paz. Voltando para casa, veio-me ao pensamento que deveria ir ao colégio conversar com o diretor e lhe pedir uma bolsa de estudos para a Emily. Em troca, lhe proporia a prestação de serviços na área de informática, durante meus horários disponíveis.

As pessoas com as quais havia conversado acharam que seria perda de tempo eu conversar com o diretor do colégio, mas as impossibilidades humanas não mais me intimidavam, pois eu já tinha percebido meu “link” permanente com Deus, o bem infinito e protetor.

Fiz a proposta ao diretor. Ele a anotou, disse-me que era um caso difícil, mas que o estudaria. Depois de duas semanas, soube que havia conseguido 10% de desconto na mensalidade, mas isso continuava a inviabilizar a permanência de minha filha na escola.

Não me permiti abater. Fiquei firme com a ideia de Deus ser a fonte única do bem, e declarei em voz alta: “O Amor divino sempre satisfez e sempre satisfará a toda necessidade humana” (Ciência e Saúde, p. 494).

Acalmei-me e pedi para falar novamente com o diretor. Ele me atendeu gentilmente, junto com a diretora pedagógica. Tivemos uma conversa muito harmoniosa.

Dois dias depois, pediram-me para que eu fosse ao colégio acertar os detalhes, pois minha proposta fora aceita! Aquela notícia foi uma linda demonstração do poder de Deus e do Seu governo em todas as circunstâncias.

Contudo, eu ainda precisava resolver o problema da condução escolar. Continuei a pensar que a inteligência divina provê todo o necessário. Eu saberia o que fazer, porque a Mente provedora, Deus, é sabedoria infinita, e eu, como imagem e semelhança da Mente, reflito esse saber consciente em minhas ações.

Alguns minutos depois, lembrei-me de um primo que trabalhava de forma autônoma. Resolvi lhe propor que levasse a Emily ao colégio pela manhã e a buscasse no final da tarde, o que ainda lhe possibilitaria ter outras atividades durante o dia. Ele aceitou imediatamente, o que foi muito bom! Ainda incluí outra aluna do colégio que também estava com problema de condução, o que significou uma ajuda financeira ainda maior para meu primo. Todos foram abençoados, o que, para mim, exemplifica a conexão de todos com o bem.

Fiquei muito grata por compreender que as limitações impostas em um contexto humano não se sustentam, quando as expomos à luz da Verdade e enxergamos o universo criado por Deus e Sua conexão com tudo e com todos. Por isso, tenho a certeza de que fazemos parte dessa rede espiritual infinita, que é ligada pela inteligência onisciente e universal. Como resultado do bom trabalho desenvolvido na escola, o coordenador de informática do colégio me convidou para lecionar em uma universidade, o que foi uma ótima oportunidade financeira, e de crescimento profissional e pessoal. Adquirir um conceito sólido sobre o Provedor infinito iluminou meu pensar e trouxe a certeza de que todos, em qualquer situação e lugar, estão sempre conectados ao Amor divino e podem contar com sua ajuda. Em menos de um ano, minha filha já não precisava mais da bolsa de estudos.

Como é bom saber que as atividades diárias podem trazer uma percepção mais elevada sobre todas as coisas. Todos podemos reconhecer que nossa conexão ininterrupta com o bem comprova que as bênçãos são infinitas e constantes.

Evelin é Praticista da Ciência Cristã no Rio de Janeiro, RJ.

 

Anúncios

Sobre cienciacristabrasil

A Ciência Cristã ou Christian Science foi descoberta por Mary Baker Eddy em 1866, nas proximidades de Boston, MA, EUA. Baseia-se na vida, palavras e obras de Jesus Cristo. Ela é um movimento religioso global. Está aberta a todos no livro: CIÊNCIA E SAÚDE COM A CHAVE DAS ESCRITURAS, de autoria de Eddy.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Manter-se conectado ao Provedor

  1. Pingback: Ciência Cristã Joinville

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s