Nunca estamos desamparados

O Arauto da Ciência Cristã  Português  Edições  1995  novembro  Volume 045, Número 11

Evan Mehlenbacher

Da edição de novembro de 1995 dO Arauto da Ciência Cristã

Estávamos De Mudança para outro estado. Enquanto eu levantava uma caixa pesada, alguma coisa aconteceu com minhas costas e de repente senti muita dor. Eu mal conseguia andar e definitivamente não estava em condições de levantar coisa alguma. Como eu era a única pessoa que estava carregando objetos pesados, as probabilidades de continuarmos como planejado eram mínimas.

Comecei a orar. À medida que o fazia, compreendi que não estava desamparado, como havia começado a me sentir. Deus estava ao meu lado. Que mais poderia eu precisar? Havia ficado tão absorto na mudança, que perdera de vista Sua força e poder sempre presentes.

Para corrigir esse lapso espiritual, decidi deixar de lado a sensação de responsabilidade pessoal por esse trabalho e me apoiar mais em Deus e na inspiração espiritual, ao invés da força bruta, para terminar o trabalho.

Após alguns minutos, fiquei claramente consciente da ajuda onipresente de Deus. A dor começou a diminuir rapidamente.

Poucos minutos depois, eu estava novamente de pé, carregando caixas e móveis. Mas dessa vez estava convicto de que nada era mais importante do que me manter consciente da presença de Deus. A cura logo se completou, e não tive mais problemas com minhas costas.

Talvez o inimigo que mais precisamos vencer, quando confrontados com uma sensação de desamparo, é a tentação de desistir ou de nos resignar a sofrer. A sugestão mesmérica de que estamos desamparados pode ser enfrentada com a verdade de que o sofrimento nunca é necessário nem real, pois Deus é Amor, todo-poderoso e bom. Qualquer alegação que justifique o sofrimento pode ser rejeitada, pois o propósito da existência do homem é expressar livre e ativamente, ao máximo, a bondade de Deus.

Ter pena de nós mesmos, alimentar ressentimento, ou culpar os outros por nossos problemas, impede-nos de recorrer a Deus em busca de ajuda. Mas quanto antes abandonarmos a autocomiseração e o desespero e nos volvermos a Deus, tanto antes acharemos a verdade que nos liberta.

O auxílio de Deus está sempre presente. Ao homem paralítico na cidade de Betesda, Jesus perguntou: “Queres ser curado?” 1 O homem respondeu, relatando a Jesus as razões pelas quais não havia encontrado a cura até aquele momento. Sua convicção de que estava num estado irremediável fechou-lhe os olhos para a oportunidade que Jesus lhe proporcionava. Mas Jesus persistiu e ordenou que o homem se levantasse e andasse. E ele o fez, provando que a aparente imagem de desamparo era irreal. Não fez diferença o fato de o paralítico haver sofrido trinta e oito anos, e talvez haver pensado que sofreria pelo resto da vida. A saúde é a realidade do homem criado por Deus, e é tão onipresente quanto Deus. O poder do Cristo, a Verdade, se sobrepôs a toda e qualquer desculpa ou temor, e prontamente revelou a capacidade indestrutível que o homem tinha, de andar.

Cristo Jesus disse: “Sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste.” 2 Recorrendo a Deus, podemos vencer toda condição ou circunstância que ameace limitar ou negar a perfeição que nos foi outorgada por Deus.

Essa perfeição se torna mais evidente à medida que compreendemos que o homem é espiritual, não material. O despontar da Verdade divina na consciência, incluindo a compreensão de que o homem é criado à imagem e semelhança de Deus, é o aparecimento do Cristo. Liberta-nos de dúvidas e temores que nos debilitam, e cura quaisquer circunstâncias de doença e invalidez.

A Sra. Eddy escreve em Ciência e Saúde, o livro-texto da Ciência Cristã: “Não são os músculos, nem os nervos, nem os ossos, mas sim a mente mortal, que faz com que o corpo inteiro esteja ‘doente e todo o coração enfermo’; ao passo que a Mente divina cura.

“Quando isto for compreendido, nunca afirmaremos acerca do corpo, o que não desejamos se manifeste nele. Não diremos que o corpo é fraco, se o quisermos forte; pois a crença na fraqueza deve ter estado na mente humana antes de poder manifestar-se no corpo, e a destruição da crença será a eliminação de seus efeitos.” 3

Estamos nos vendo uns aos outros como Deus nos criou, ou seja, espirituais, perfeitos, livres, totalmente capazes? Ou estamos nos apegando a um conceito limitado do homem como material, falível, desamparado? Compreender a verdade de que Deus e o homem são perfeitos significa destruir a crença de que o homem é imperfeito e está desamparado.

Um grande amigo meu estava com dificuldades para se mexer livremente. Estava com o ombro deslocado, e sentia dores excruciantes. Quando nós dois oramos, reconhecemos sua identidade espiritual como filho de Deus, o controle absoluto que Deus tinha sobre ele, e sua capacidade ilimitada de expressar a perfeição livremente.

Ele estava muito transtornado por causa de um desentendimento que tivera com a esposa, por isso oramos também sobre a paz em seu lar. Sabíamos que há apenas uma Mente, e que, como sua esposa era tão inseparável da Mente quanto ele, eles não podiam deixar de se reconciliar e assim encontrar uma solução para o problema que os afligia.

O desentendimento desvaneceu-se rapidamente. Pouco tempo depois, o ombro de meu amigo se ajustou e a dor desapareceu.

O fato de termos recorrido a Deus, sem temer que a ajuda não viesse, proporcionou a meu amigo a cura de que ele precisava. Não fez diferença alguma qual era a aparente origem do problema: se a dor no ombro parecia tornar difícil a convivência entre meu amigo e a esposa, ou se o conflito conjugal parecia deslocar o pensamento e, conseqüentemente, o ombro de meu amigo. Para Deus há apenas uma realidade, a perfeição espiritual, e esta é constante. E unicamente Deus, o bem, é causa.

“Para Deus tudo é possível”,4 disse Cristo Jesus. Ao abandonar toda fé na matéria e apoiar-nos totalmente no Espírito para a cura, invocamos as leis de Deus da saúde e da harmonia em nosso favor e trazemos o pleno poder curativo de Deus em nosso amparo. Podemos nos apoiar em Deus a qualquer momento e sob quaisquer circunstâncias para nos curar. Nunca estamos desamparados!

1 João 5:6.  2 Mateus 5:48.  3 Ciência e Saúde, p. 219.  4 Mateus 19:26.

– See more at: http://pt.herald.christianscience.com/portugues/edicoes/1995/11/045-11/nunca-estamos-desamparados#sthash.Kh8DOyZF.dpuf

Anúncios

Sobre cienciacristabrasil

A Ciência Cristã ou Christian Science foi descoberta por Mary Baker Eddy em 1866, nas proximidades de Boston, MA, EUA. Baseia-se na vida, palavras e obras de Jesus Cristo. Ela é um movimento religioso global. Está aberta a todos no livro: CIÊNCIA E SAÚDE COM A CHAVE DAS ESCRITURAS, de autoria de Eddy.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s