Nossa verdadeira independência: depender apenas de Deus.

Boston, E.U.A.

Da edição de setembro de 1995 dO Arauto da Ciência Cristã

The Christian Science Monitor

A Independência É uma condição que muitos almejam. Não quer dizer que condenemos o auxílio mútuo, mas sim que nossa auto-estima pode sucumbir, se nos sentirmos sempre dependentes de outras pessoas. Existe, porém, certo tipo de independência que talvez não alcancemos, se estivermos demasiadamente convictos de nossa auto-suficiência. É a incomparável liberdade espiritual de depender unicamente de Deus.

Em realidade, essa é a capacidade que se origina em Deus e que faz com que os indivíduos sintam confiança em si mesmos. Deus cria o homem real espiritual à Sua própria semelhança e sustém Sua criação. O terno amor de Deus, refletido por Seus filhos, também nos leva a apoiar a independência de cada pessoa, quando não conseguimos resolver tudo sozinhos. Esse auxílio mútuo, que é a essência do viver cristão, manifesta o verdadeiro cuidado de Deus por Sua criação. Tanto aqueles que são objetos dessa atenção, quanto os que a expressam, podem reconhecer que sua origem é divina. Assim, ao invés da dependência pessoal, eles constatarão que é o apoio divino que traz liberdade.

Cristo Jesus nunca declarou ter auto-suficiência, nem pretendeu ser um livre-pensador. Contudo, ninguém foi mais livre do que ele. Ele demonstrava a verdadeira independência que resulta da disposição de confiar totalmente em Deus. Ele sempre subordinava a perspectiva pessoal ao Cristo, sua filiação espiritual com Deus. Como conseqüência, realizou as curas que libertaram multidões, registradas na Bíblia.

Jesus explicou que o auxílio que damos ou recebemos, e que se baseia em nossa confiança em Deus. traz à luz algo mais da verdadeira filiação do homem com Deus. Ele observou que aqueles que socorrem os doentes, os famintos, os encarcerados, estão, em realidade, servindo a ele, e disse: “Em verdade vos afirmo que sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.” 1 Quando a assistência que damos ou recebemos afirma o Cristo, a verdadeira identidade espiritual do homem, então todos os envolvidos passam a sentir maior confiança em Deus. É isso o que realmente liberta.

Percebi o significado disso em termos práticos numa ocasião em que passei a desempenhar uma atividade muito importante, mas muito mal remunerada. Mesmo a contragosto, eu precisava aceitar a ajuda de outra pessoa para atender a algumas de minhas necessidades. Se bem que essa situação parecesse perfeitamente normal e não sobrecarregasse a pessoa que me ajudava, eu teria preferido ser totalmente auto-suficiente.

Graças à oração, porém, tomei consciência de que eu não era um mortal que pudesse ser diminuído por receber ajuda de outra pessoa. Nem deveria me apoiar com orgulho em minha própria capacidade pessoal. Eu era a filha totalmente espiritual de Deus, o Deus que assegura provisão divina permanente a Seus filhos. Reconheci que a pessoa que me ajudava estava divinamente impelida a apoiar as qualidades de índole cristã de minha natureza espiritual verdadeira. E eu podia, em troca por esse gesto de altruísmo semelhante ao do Cristo, expressar gratidão e amor. Tanto eu quanto essa pessoa fomos abençoados. Mais tarde tornou-se evidente que os projetos que eu havia conseguido completar durante aquele período tinham grande valor.

Mary Baker Eddy, a Descobridora e Fundadora da Ciência Cristã* , explica em seu livro Retrospecção e Introspecção: “Nossa dependência das coisas materiais precisa ser substituída por uma percepção das coisas espirituais, e pela confiança nestas.” 2 Às vezes, quando demonstramos mais força e iniciativa divinas do que pensávamos ser capaz, aprendemos a depender mais das coisas espirituais. Mas também podemos aprender a sentir confiança espiritual quando somos auxiliados por outra pessoa. Dessa forma, percebemos que a graça de Deus, que é onde se origina essa ajuda, é sempre suficiente.

Na Bíblia, Pedro nos assegura: “Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte, lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.” 3 Quando dependemos somente de Deus, nós expressamos uma independência duradoura.

1 Mateus 25:40.  * Christian Science (kris´tiann sai´ennss)  2 Ret., p. 28.  3 1 Pedro 5:6, 7.

– See more at: http://pt.herald.christianscience.com/portugues/edicoes/1995/9/045-09/nossa-verdadeira-independencia-depender-apenas-de-deus#sthash.2WzEUOjG.dpuf

Anúncios

Sobre cienciacristabrasil

A Ciência Cristã ou Christian Science foi descoberta por Mary Baker Eddy em 1866, nas proximidades de Boston, MA, EUA. Baseia-se na vida, palavras e obras de Jesus Cristo. Ela é um movimento religioso global. Está aberta a todos no livro: CIÊNCIA E SAÚDE COM A CHAVE DAS ESCRITURAS, de autoria de Eddy.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s