A Mente governa tudo

Por Jan Johnston

Da edição de setembro de 1995 dO Arauto da Ciência Cristã

Quando As Circunstâncias da vida parecem desarmoniosas e fora de controle, a seguinte declaração sobre a soberania absoluta de Deus, encontrada em Ciência e Saúde,de Mary Baker Eddy, infunde-nos segurança: “Tudo está sob o controle da Mente única, ou seja, Deus.” 1 Essa frase exprime a onipotência, onisciência e onipresença dessa Mente, que é Amor divino, e não deixa dúvidas de que o Criador governa completamente toda a Sua criação, não obstante as aparências em contrário. A compreensão desse fato espiritual devolve-nos a paz e a harmonia, e traz consigo a cura física.

Notem que esse trecho se refere a Deus como “Mente única“. Reconhecer que a Divindade é a única inteligência divina que governa tudo e é expressa por tudo, é o ponto crucial para restaurar a ordem e a harmonia em nossa existência. Por quê? Porque, na maioria das vezes, o que está por trás do problema é a ilusão de que existam bilhões de mentalidades materiais conflitantes.

O senso falso e material de vida representa o homem como se fosse tanto criador como criação, com qualidades oriundas ao mesmo tempo do bem e do mal. A mente é vista como uma porção de matéria, contida no crânio, e cada mentalidade é considerada isoladamente, como originadora do pensamento. Dessa forma, as identidades parecem estar com freqüência em desacordo e ter objectivos opostos. Se cada uma dessas mentalidades realmente tivesse sua própria inteligência, separada de Deus, jamais poderia haver unidade ou acordo quanto ao que é certo ou errado.

Entretanto, a criação de Deus não é composta de bilhões de mentes em conflito. Cada um dos filhos de Deus é Sua imagem espiritual, a expressão da Mente perfeita e infinita, que é uma e única. Cada identidade é caracterizada e individualizada pela Mente. Sendo a imagem da Mente, o homem é inseparável dessa inteligência divina, expressa-a, está completamente em acordo com ela, sente seu amor universal. A verdadeira inteligência só pode se originar dessa fonte única, espiritual. A verdade deve proceder dessa fonte, a ela pertencer, e é impossível existir alguma mentalidade inferior que a possa contestar. Além disso, essa Mente é Amor divino. O reconhecimento desses fatos constitui base segura para a harmonia entre as nações, assim como para a união entre as pessoas.

Como Deus é Espírito, toda a criação, inclusive o homem, deve ser espiritual em substância. Na verdade, o homem não se origina nem vive em um corpo material. A compreensão desse fato espiritual restaura a saúde do corpo porque reconhece a inviolável perfeição do homem, intocada pelas condições materiais. Reconhece sua inteireza espiritual, que inclui todas as qualidades da saúde, provenientes de Deus. Nada pode quebrar essa inteireza espiritual. O Amor divino deu saúde eterna a seus filhos e mantém o controle sobre todas as condições do homem.

Dou aqui um exemplo de como a compreensão do controle divino traz cura. Quando minha filha era adolescente, com freqüência discutíamos. Houve uma ocasião em que a discussão se prolongou vários dias. Eu achava que sabia o que era certo e orava para saber que ela era o reflexo de Deus e, portanto, não poderia ser levada a uma decisão errada. Eu declarava que todas as qualidades divinas, que ela refletia, estavam presentes, inclusive a retidão. A situação, contudo, não se resolvia.

Recorri à Bíblia e ao livro-texto da Ciência Cristã, Ciência e Saúde. Eu precisava que esses livros me abrissem os olhos para a harmonia que, eu sabia, devia estar presente, pois nossa casa estava se tornando um campo de batalha. Duas passagens começaram a me ajudar nessa busca pela paz. Uma era da Bíblia: “Pondo-se Jesus a caminho, correu um homem ao seu encontro e, ajoelhando-se, perguntou-lhe: Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna? Respondeu-lhe Jesus; Por que me chamas bom? Ninguém é bom senão um só, que é Deus.” 2

Ao ler essas palavras de Cristo Jesus, lembrei-me de como era forte minha certeza de que eu tinha razão. Aos poucos, percebi que eu estivera me considerando um modelo de retidão. Sim, claro, eu havia orado para ver justiça em minha filha, mas partira da presunção de que era eu a que tinha razão, era eu que estava certa. Era como dizer que o bem se originava em mim. Minhas orações haviam sido uma tentativa de fazer com que ela demonstrasse meu senso do que era certo.

O segundo trecho que me ajudou foi de Ciência e Saúde: “O céu não é uma localidade, mas um estado divino da Mente, no qual todas as manifestações da Mente são harmoniosas e imortais, porque lá não está o pecado, e verifica-se que o homem não tem retidão própria, mas possui a ‘mente do Senhor’, como dizem as Escrituras.“ 3

Ali estava a confirmação exata daquilo que Jesus dissera, ou seja, que só há um único Deus, uma Mente, uma origem do bem. Logo, não se tratava de saber quem estava certa, se eu ou minha filha, mas sim de reconhecer que Deus sabia o que era certo e nós refletíamos a Deus em paz e união, conhecendo apenas a vontade de Deus. Compreendi que, ao declarar o controle do Amor divino sobre todas as coisas, eu tinha de incluir a mim mesma, assim como os outros. Isso significava desistir de minha vontade pessoal e permitir que a “mente do Senhor” fosse expressa em mim.

Custou-me um pouco admitir esse fato a mim mesma, mas quando consegui fazer isso, abandonei minha posição obstinada e a situação mudou para melhor. E o que notei imediatamente foi que o caso não se resolveu como eu achava que deveria se resolver. A solução surgiu de uma forma que eu jamais imaginara, mas que era a mais adequada para todos, inclusive para mim.

Ninguém na terra foi melhor do que Cristo Jesus. Todavia, humildemente Jesus reconheceu que Deus era a origem do bem, da retidão, da sabedoria e de todas as outras qualidades construtivas da Mente. Se o maior sanador da terra não atribuiu a si mesmo a criação de toda a compreensão espiritual e de todo o bem que ele expressava, se ele não acreditava que a inteligência havia nascido dele, teremos nós razão em fazer isso?

Quando damos a Deus a glória por tudo o que é bom e certo, não subtraímos o bem de nós mesmos nem nos diminuímos. Valemonos da onipresença dessa inteligência soberana, que controla o universo com amor, e permitimos que ela nos governe em harmonia e paz. Silenciamos a vontade humana, por mais certa que ela pareça ser, e nos curvamos ao Único que está sempre certo e governa tudo.

Toda Escritura é inspirada
por Deus e útil para o ensino,
para a repreensão,
para a correção,
para a educação na justiça.

2 Timóteo 3:16

1 Ciência e Saúde, p. 544.  2 Marcos 10:17, 18.  3 Ciência e Saúde, p. 291.

– See more at: http://pt.herald.christianscience.com/portugues/edicoes/1995/9/045-09/a-mente-governa-tudo#sthash.ERxGfEXe.dpuf

Anúncios

Sobre cienciacristabrasil

A Ciência Cristã ou Christian Science foi descoberta por Mary Baker Eddy em 1866, nas proximidades de Boston, MA, EUA. Baseia-se na vida, palavras e obras de Jesus Cristo. Ela é um movimento religioso global. Está aberta a todos no livro: CIÊNCIA E SAÚDE COM A CHAVE DAS ESCRITURAS, de autoria de Eddy.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s