Deus está no meio de ti!

 

Judith Hardy Olson

Da edição de julho de 1995 dO Arauto da Ciência Cristã

A Bíblia Está cheia de promessas maravilhosas de Deus para todos nós. Uma delas é: O Senhor está ”no meio de ti”. Pensa nisso! Exatamente aqui (onde estás), neste exato momento (ou seja, na hora em que precisas dEle), Deus está também, com toda a Sua ternura e bondade, com todo o Seu poder — totalmente puro e certo de que ”tu já não verás mal algum”, como termina dizendo esse versículo bíblico.1

Podes conhecer e sentir a presença do poder de Deus e o poder de Sua presença, de forma tão tangível, tão segura, que fará desaparecer o que quer que, em tua vida, pretenda negar essa presença, seja medo, ódio, ansiedade, inveja, depressão, pressão, imoralidade ou doença.

Todas as obras de cura de Cristo Jesus provaram que Deus está no meio de nós e é poderoso. Deus, o Amor, vence o ódio; Deus, a Vida, vence a morte; Deus, o Espírito, vence todas as condições materiais. O Mestre estava sempre consciente de que podemos nos valer do amor onipotente de Deus a todo instante. A oração dele por seus seguidores de todas as épocas era a de que fôssemos um com Deus, como ele o era.2

Mesmo que nunca antes tenhamos ouvido falar do amor onipresente e onipotente de Deus, jamais é tarde para começar a aprender! Foi o que constatou Hagar, uma egípcia cuja história aparece na Bíblia. Naquela época os egípcios não acreditavam em um único Deus onipotente. Quando ela se encontrou em situação difícil, quando se viu de repente sem casa, sem trabalho, no meio do deserto com um filho para cuidar, sem comida nem água, ela primeiramente escondeu o menino. (Deve ter pensado: ”Não posso suportar vê-lo morrer; que mais posso fazer?”) Em seguida, desesperada e chorando, volveu-se a Deus, e Ele Se deu a conhecer. Este é o pensamento que veio à mulher: ”Não temas; porque Deus ouviu a voz do menino, daí onde está.”3

Deus ouvira o apelo do menino! Hagar abriu os olhos e viu um poço de água. Ele estivera ali o tempo todo, mas a autocomiseração e o medo lhe tinham bloqueado a visão. Contudo, Deus, que estava junto a ela, mostrou-lhe que Sua bondade estava presente. Não consigo pensar em nada mais tangível do que água no deserto. O cuidado de Deus por Hagar e seu filho não parou ali. Ele fez com que prosperassem; e o filho de Hagar, Ismael, cresceu e se tornou o pai do povo árabe.

Eu conheço uma Hagar moderna, uma jovem que encontrei recentemente em uma lanchonete de uma metrópole. Ela me contou que ficara repentinamente sem emprego, sem casa, repudiada pela família. Viveu um ano e meio perambulando pelas ruas da cidade e logo ficou viciada em drogas. Então, certa noite, no auge do desespero, com frio, doente e carente de amor, ela, como Hagar, achou que sua única saída seria morrer. ”Mas bem na hora em que desisti de tudo”, contou ela, ”alguma coisa dentro em mim me disse que eu conseguiria sair daquela situação.” Ela se endireitou e acrescentou: ”E aqui estou! Não uso mais drogas desde aquela noite, há nove meses. Atualmente tenho um lugar para morar, um emprego e continuo progredindo!”

Agradeci-lhe por ter me contado sua experiência e então perguntei: ”Aquela ‘coisa’ dentro de você — você não acha que foi a voz suave de Deus, fazendo com que você sentisse como era importante para Ele?”

Ela pensou um pouco e respondeu: ”Acho que sim. Eu não sei muito sobre Deus. Mas sei que foi algo muito maior do que eu.”

Alguma vez na vida, num momento de necessidade, já não te aconteceu de sentires ”algo muito maior do que tu” — o grande amor de Deus — fazendo-te sentir fortalecido, protegido e consolado? Eu já senti.

Foi na ocasião em que sofri um acidente de automóvel. Minhas duas filhas estavam comigo. Lembro-me de ter sentido o amor de Deus bem no meio de nós, no momento do impacto. Bati a cabeça no pára-brisa, que se quebrou, mas não sofri nenhum arranhão. Minha filha, porém, quebrou a perna. Um policial logo veio em nosso auxílio. ”É de pasmar que vocês não tenham se machucado mais”, disse. Ele foi gentil, ajudou-nos e levou-nos a um pronto-socorro para que a perna de minha filha fosse engessada.

Agradeci a Deus por estar ”no meio” de nós a cada minuto, por ser um socorro sempre presente. Eu também tinha aprendido, em meu estudo da Ciência Cristã,* que, por Deus ser todo o bem e por ser a causa de tudo, Ele certamente não poderia causar ou conhecer algo como um acidente. Por conseguinte, o acidente não podia ser verdadeiro.4

Sem dúvida, não é fácil considerar irreais os acidentes, principalmente logo após haver sofrido esse tipo de problema. Contudo, eu sabia que essa era a verdade (baseada na premissa e na promessa bíblica de que Deus é Tudo), sobre a qual minha oração estava fundamentada. Eu também sabia que, ao manter meu pensamento firmemente voltado para as verdades que havia aprendido sobre Ele, Deus me elevaria mentalmente até eu conseguir ver Seu governo perfeito (apesar da evidência material em contrário). Isso me ajudaria a superar os efeitos aparentes do acidente.

Duas das promessas de Deus, na Bíblia, que eu decorara na Escola Dominical quando criança, vieram-me ao pensamento: ”Eu, o Senhor teu Deus, te tomo pela tua mão direita, e te digo: Não temas, que eu te ajudo.”5 E, para minha filha: ”Deus está no meio dela:… Deus a ajudará desde antemanhã.”6 Ponderei sobre essas palavras durante todo o trajeto até o pronto-socorro.

Quando chegamos, tiraram uma radiografia. O médico disse que a perna estava quebrada em dois lugares e tinha sofrido uma forte torção. Para colocá-la no lugar, seria necessário anestesiar a menina. Ele também temia que houvesse hemorragias e lesões internas e queria mantê-la em observação, no hospital, pelo menos durante vinte e quatro horas.

Durante a hora e meia seguinte, as crianças e eu ficamos em um pequeno quarto, aguardando o especialista que ajustaria a perna. Estávamos com o pensamento tão voltado para Deus, sentindo e confiando no Seu amor, que tínhamos certeza de que Ele estava no meio de nós. As crianças mostraram-se corajosas, nem um pouco amedrontadas, ficaram calmas, não se sentiram transtornadas. Nós cantamos, como fizeram Paulo e Silas quando foram presos, como lemos na Bíblia. Cantamos hinos que havíamos aprendido na Escola Dominical. Um deles falava sobre a “gentil presença” de Deus.7 Um trecho especialmente significativo para mim, naquele momento, foi: “Susténs da avezinha o voejar, / Meu filho guarda em seu progredir.” Talvez creias que fosse tarde demais para aquela oração, porque o mal já havia acontecido. Mas eu sabia que nunca é tarde demais para orar.

Quando o ortopedista chegou, disse que a perna tinha se ajustado naturalmente, melhor do que ele poderia ter feito. Engessoua e fomos para casa. Na saída, ele avisou que mais tarde a menina iria sentir bastante dor, e quis receitar um analgésico. Agradeci, mas disse-lhe que não era necessário. (Eu sabia que a dor também não era necessária.)

Tudo foi bem até que, no meio da noite, ela realmente acordou sentindo dores. Fiquei junto dela e oramos em silêncio por alguns minutos. Lembro-me de que me voltei o melhor que pude para Deus e consegui um vislumbre da união inquebrantável da menina com seu Pai-Mãe, Deus, amoroso, que a sustentava. Alguns minutos mais tarde ela disse que a perna não doía mais. “Eu estava tentando, sozinha, não sentir medo”, disse ela. “Mas então lembrei que Deus estava comigo e por isso eu não podia sentir medo.” Porventura não era Deus que estava junto a ela, mostrando-lhe Seu amor — tão puro, tão certo, que nem o medo nem a dor poderiam resistir? Na manhã seguinte ela foi à escola e desempenhou o papel de fada azul numa peça encenada pelos alunos.

Alguns dias depois, terminou o período de aulas e ela viajou de avião para passar umas duas semanas com os avós. Enquanto ela estava fora, continuei a orar todos os dias, para ver com maior clareza o governo perfeito de Deus sobre todos os Seus filhos. Quando ela voltou da viagem, eu estava tão certa de que a cura já estava completa, que levei a menina para tirar o gesso, apesar de ainda faltarem duas semanas para o prazo estipulado pelo médico. Eu não sabia o que dizer a ele, mas percebi que Deus estava me orientando. Quando nos viu, foi ele quem disse: “Vamos tirar isso.” E foi o que fez. Ela não precisou usar muletas, voltou a andar e correr livremente.

Deus está contigo, não longe de ti, e tu és dEle, ou seja, és receptivo a Ele. Acalenta esse vínculo, e demonstrarás Sua presença suave e todo-poderosa. Experimenta. Comprova, tu mesmo. E lembra-te, não estás só nesse empenho. “Deus está no meio de ti”, para mostrar-te a cada minuto quão poderoso é Seu amor por ti.

1 Sofonias 3:17, 15.  2 Ver João 17:11.  3 Gênesis 21:17.  * Christian Science (kris’tiann sai’ennss)  4 Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras, de Mary Baker Eddy, p. 424.  5 Isaías 41:13.  6 Salmos 46:5.  7 Hinário da Ciência Cristã, n° 207.

– See more at: http://pt.herald.christianscience.com/portugues/edicoes/1995/7/045-07/deus-esta-no-meio-de-ti#sthash.XxDA3KgZ.dpuf

Anúncios

Sobre cienciacristabrasil

A Ciência Cristã ou Christian Science foi descoberta por Mary Baker Eddy em 1866, nas proximidades de Boston, MA, EUA. Baseia-se na vida, palavras e obras de Jesus Cristo. Ela é um movimento religioso global. Está aberta a todos no livro: CIÊNCIA E SAÚDE COM A CHAVE DAS ESCRITURAS, de autoria de Eddy.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s