Não se deixe dominar pelo desânimo

Marian Cates

Da edição de julho de 1995 dO Arauto da Ciência Cristã

Há Ocasiões Em que nossa vida transcorre maravilhosamente. Temos tudo aquilo de que precisamos e até um pouco mais. A vida nos parece não somente equilibrada, mas generosa. Há momentos, porém, em que algum desafio em particular, ou uma série de desafios, talvez nos façam sentir impotentes e desanimados.

Pois justamente nessas situações é que precisamos ter o especial cuidado de manter corajosamente nosso pensamento à altura do padrão do Cristo: confiantes no controle benéfico de Deus sobre todas as coisas. No Novo Testamento, podemos encontrar conforto e inspiração no e equilíbrio espiritual e na confiança insuperável que Cristo Jesus demonstrou, ao defrontar-se com grandes desafios, como multidões enfurecidas e a hostilidade de líderes civis e religiosos. Podemos nos empenhar em seguir seus ensinamentos e seu exemplo, dando passos grandes e pequenos nesse sentido, lembrando-nos de que cada passo em conformidade com o Cristo, não importa quão pequeno pareça ser, é um passo rumo a Deus.

Uma idéia que me ajudou muito em ocasiões difíceis é a de que a tentação de entregar-nos ao desânimo e à comiseração própria é, em realidade, um convite para nos sentirmos pior. Por outro lado, a coragem moral e a imolação do eu fazem com que nos sintamos mais fortes, mesmo em meio a problemas.

As aparentes justificativas para o desânimo — de que a situação está além de nossa capacidade, de que o obstáculo é muito maior do que nossa habilidade para vencê-lo — precisam ser reconhecidas como mentiras. Como “Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações”,1 não podemos jamais nos deparar com um desafio que esteja além de nossos meios para vencê-lo. Deus tem recursos infinitos e o homem nunca está separado de Deus, porque o homem é a forma de Deus expressar a Si mesmo. Deus não nos cria para, em seguida, nos deixar sozinhos, cuidando de nós mesmos como nos for possível. Deus é nosso Pai amoroso, que nos guia e mantém sempre.

Se quisermos estar mais cônscios da orientação e do apoio de Deus, podemos nos dispor a dedicar mais tempo a ponderar sobre o amor de Deus e a regozijar-nos em Sua bondade onipotente. A nossa gratidão por termos sido criados à Sua imagem, completamente espirituais, nunca será demais. E essa gratidão ativa faz com que estejamos despertos para perceber a Sua presença.

Não há dúvida de que, às vezes, é necessário ter coragem e tanto para enfrentar e refutar as pretensões materiais de discórdia e doença, sem nos deixar abater por elas. As sugestões de que o homem é material, mortal e vulnerável — que é justamente como os sentidos físicos o apresentam — podem se apresentar bastante agressivas. Mas elas não são a verdade a respeito do homem, que é tão espiritual, eterno e perfeito quanto seu Criador.

Tomar uma posição corajosa em favor da verdade espiritual promove a cura. A Sra. Eddy diz, em Ciência e Saúde: “Nunca digas aos doentes que eles têm mais coragem do que força. Dizelhes, antes, que sua força está em proporção à sua coragem.” Um pouco adiante, no mesmo parágrafo, ela diz: “Sustenta as verdades apresentadas pela Ciência Cristã — que o Espírito é Deus, e por isso, não pode estar doente; que aquilo que se chama matéria não pode estar doente; que toda causalidade é Mente, que está agindo mediante a lei espiritual. Então, mantém tua posição com a compreensão inabalável da Verdade e do Amor, e vencerás.” 2

A coragem baseada na suprema bondade divina e no controle absoluto de Deus, é dotada de poder espiritual. Não há nenhuma vanglória em reivindicar o direito inato ao domínio que Deus dá ao homem. Cristo Jesus, com muita coragem, demonstrou poder espiritual quando curou na sinagoga, no sábado. Ele sabia que os líderes religiosos reagiriam com indignação à sua atitude. Mesmo assim ele efetuou a cura, porque era a coisa correta, nobre e divina a ser feita.

Após a ressurreição e ascensão de Jesus, os apóstolos seguiram seu exemplo, continuando a pregar o evangelho e a curar em seu nome, mesmo sofrendo perseguições. Os discípulos de hoje enfrentam diversos desafios, alguns mais conhecidos do que outros. Mas cada desafio constitui uma oportunidade para nos alicerçarmos mais firmemente no Cristo, a verdadeira idéia de Deus, e nos volvermos mais completamente a Deus, em busca de orientação e força.

Cada pessoa desenvolve sua própria salvação, passo a passo. Se nos aparecem desafios, isso não quer dizer que sejamos fracos ou menos dignos. Pelo contrário, os desafios são uma oportunidade de ampliar nossa compreensão da semelhança do homem com Deus e, dessa forma, passar a sentir paz e alegria mais constantes.

O desânimo, por maior que seja, não pode separar-nos do amor de Deus. O profeta Elias ficou muito desanimado, quando a rainha Jezabel enviou uma mensagem, dizendo que mandaria matálo. Ele fugiu para o deserto e “se assentou debaixo de um zimbro; e pediu para si a morte, e disse: Basta; toma agora, ó Senhor, a minha alma, pois não sou melhor do que meus pais.” 3

Todavia, Deus o despertou desse abatimento suicida, sustentou-o, conduziu-o ao monte Horebe e comunicou-se com ele por meio de um “cicio tranqüilo e suave”. Deus também assegurou a Elias que havia outras pessoas que acreditavam no Deus único, e logo ele encontrou um discípulo muito promissor, chamado Eliseu, que levaria avante seu trabalho. Daquele abatimento, Elias reagiu e foi para a frente.

O desânimo não faz parte do homem criado por Deus, pois a paz e a alegria são seu direito inato. Não importa quais sejam as dificuldades, Deus está sempre nos abrindo o caminho para uma maior harmonia e realização. Sabendo que estamos seguros sob Seu cuidado, confiamos em Deus, e essa confiança nos dá a força de que necessitamos para seguir adiante.

1 Salmos 46:1.  2 Ciência e Saúde, p. 417.  3 Ver 1 Reis, cap. 19.

– See more at: http://pt.herald.christianscience.com/portugues/edicoes/1995/7/045-07/nao-se-deixe-dominar-pelo-desanimo#sthash.dzsEKVtK.dpuf

Anúncios

Sobre cienciacristabrasil

A Ciência Cristã ou Christian Science foi descoberta por Mary Baker Eddy em 1866, nas proximidades de Boston, MA, EUA. Baseia-se na vida, palavras e obras de Jesus Cristo. Ela é um movimento religioso global. Está aberta a todos no livro: CIÊNCIA E SAÚDE COM A CHAVE DAS ESCRITURAS, de autoria de Eddy.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s