Deus se comunica conosco através de Sua lei

Lynne Cook

Da edição de maio de 1991 dO Arauto da Ciência Cristã

Por Que Ele não me ouve?” “Por que ela não compreende o que estou tentando lhe dizer?” “Como é que vou lhes explicar … ?”

Será que já lhe aconteceu tentar transmitir uma idéia a outrem e sentir que o esforço é inútil e sem esperança? Não importa se estamos tentando ensinar algumas regras simples a nossos filhos, se precisamos passar alguma informação a um grupo de trabalho ou se ansiamos comunicar as verdades espirituais à humanidade toda, não devemos nos sentir sobrecarregados pela responsabilidade de conseguir nos comunicar.

Talvez você esteja pensando: como podem os conceitos ser transmitidos a alguém, sem haver intercomunicação pessoal? No ministério de Cristo Jesus encontramos exemplos dessa comunicação sem palavras. Por exemplo, no caso da mulher “que vinha sofrendo de uma hemorragia,” Jesus percebeu o quanto ela necessitava de ajuda, ao sentir que ela apenas lhe tocara a veste, no meio da multidão. No meio do clamor dos que procuravam atrair a atenção de Jesus, nenhuma palavra foi trocada entre ambos, a não serapós ter ela sido curada.

No intuito de nos ajudar a compreender como tal coisa é possível, a Sra. Eddy apresenta a seguinte explicação no livro-texto da Ciência Cristã, Ciência e Saúde: “Não é a intercomunhão pessoal, e sim a lei divina, que é a comunicadora de verdade, da saúde e da harmonia à terra e à humanidade.”

Falando de Deus, a Bíblia diz o seguinte: “O seu entendimento não se pode medir” (Salmos). Essa Mente divina, infinita é a fonte suprema de toda inteligência e compreensão. À medida que abrimos nosso coração a Deus, à medida que adoramos nosso Criador como a origem de todo bom motivo e bom pensamento de cada um de nós, todo o peso de sentir responsabilidade pessoal ou originar e disseminar idéias, é tirado de nossas costas.

“A lei de Deus,” diz a Sra. Eddy em Não e Sim, “está em três palavras, ‘Eu sou Tudo’; e essa lei perfeita está sempre presente para reprovar toda pretensão de outra lei.” Como a lei de Deus é infinita, ela é inviolável. Essa lei faz com que a comunicação seja possível em qualquer lugar, porque Deus está em toda parte, comunicando a cada um de nós tudo o que precisamos saber. A verdade de que Deus é todo saber não se restringe apenas ao fato de que Ele sabe tudo, mas também de que Ele impele todo o saber que Sua criação expressa.

As mensagens de Deus vêm a nós como idéias espirituais que expressam Sua natureza, como pensamentos de saúde, justiça, bondade, amor e pureza, entre outros. Toda vez que temos uma idéia boa, útil, esta vem de Deus, a Mente infinita. Se, às vezes, surgem pensamentos negativos e dolorosos, estes têm origem no que o apóstolo Paulo denomina mente carnal, oposta a Deus. Essa mente carnal, ou mortal, representa um conceito errôneo de que há, ou pode haver, alguma outra mente além da única Mente divina.

A discórdia, produzida pela noção habitualmente aceita de que cada pessoa tem uma mente própria, separada, em competição ou em conflito com milhões de outras mentes separadas entre si, é corrigida pela compreensão de que cada um de nós, como filho de Deus, criado à Sua semelhança espiritual, é a expressão da Mente única. Sempre que abrimos o coração para reconhecer nosso onisciente Pai-Mãe, Mente, os pensamentos governados por Deus nos vêm como se fossem nossas próprias idéias.

Há muitos anos, tivemos uma prova prática dessa lei divina de comunicação a agir em nossa família. Meu marido e eu estávamos casados havia poucos anos e tínhamos dois filhos pequenos. Por ser um funcionário consciencioso e visando também a progredir em sua carreira, meu marido trabalhava muito além do horário. Freqüentemente vinha para casa só para dormir algumas horas e voltar correndo para o escritório. A única vez em que os filhos o viam, durante a semana, era aos domingos à tarde.

Como eu achava que eles não tinham bastante convívio com o pai, comecei a ficar confusa, com sentimentos conflitantes. De um lado, sentia-me sentia-me granta pelo empenho de meu marido e por sua capacidade crescente de sustentar a família financeiramente. Por outro lado, sentia-me negligenciada e sobrecarregada com a educação de nossos filhos. Comecei a me perguntar se cabia a mim questionar o trabalho de meu marido, embora eu sentisse que sua carreira era um meio de ele expressar qualidades divinas tais como inteligência, força e integridade.

Finalmente, desabafei com uma amiga querida. Em vez de responder, ela simplesmente me passou um exemplar de The Christian Science Journal daquele mês e me mostrou um parágrafo que acabara de ler. Nunca esquecerei o maravilhoso senso de liberdade que ele me trouxe. O artigo deu-me a certeza de que não precisava dizer a ninguém como agir, porque cada um dos filhos de Deus expressa a inteligência da Mente infinita e é governado por essa Mente.

Voltei para casa com a agradável sensação de que o rumo de meu marido seria claramente traçado pelas idéias irresistíveis que lhe eram comunicadas por Deus. Eu sabia que não podia interferir, através da vontade própria ou do medo, determinando ou traçando o rumo para ele. Podia, entretanto, ter confiança na lei divina da comunicação, que falaria a todos os envolvidos na questão.

Senti-me ternamente cuidada por nosso todo-amoroso Pai-Mãe. Sabia que nossos filhos sempre receberiam a atenção e o cuidado necessários, quer fosse através de maior convívio com o pai, quer por uma capacidade maior, de minha parte, para atender ás suas necessidades, ou ainda de alguma outra maneira que eu não havia previsto. Sabia que Deus, como Amor infinito, tem de ser expresso por nós em contentamento e ternura, assim como a Mente divina é expressa em receptividade e inteligência.

Embora não tivesse falado com meu marido sobre o desejo de té-lo mais tempo em casa, nem sobre as verdades espirituais em que havia pensado, duas semanas mais tarde ele arranjou outro emprego que lhe oferecia um avanço na carreira, um salário melhor e uma carga horária menor. Logo ele pôde passar os fins de semana em casa e já não vinha para casa tão tarde. Meu marido obedeceu à diretriz irresistível de Deus, agindo em conformidade com as boas idéias que lhe vieram. E todos nós fomos abençoados com renovado senso de união e participação familiar.

Nesse caso, não houve necessidade de dizer nada, mas em muitas ocasiões a comunicação divina pode nos chegar através de um pensamento inspirado, provendo-nos com as palavras certas para transmitir a mensagem necessária.

Nosso desejo sincero de comunicar, de compartilhar boas idéias e inspirar motivos corretos, é apoiado e estimulado por nosso Pai-Mãe Deus. Quanto mais soubermos e comprovarmos que Deus é a Mente de todos nós, tanto mais perceberemos Sua lei da comunicação expressa em nossa vida e na vida dos que estão à nossa volta.

– See more at: http://pt.herald.christianscience.com/portugues/edicoes/1991/5/041-05/deus-se-comunica-conosco-atraves-de-sua-lei#sthash.bCAJJ5Fa.dpuf

Anúncios

Sobre cienciacristabrasil

A Ciência Cristã ou Christian Science foi descoberta por Mary Baker Eddy em 1866, nas proximidades de Boston, MA, EUA. Baseia-se na vida, palavras e obras de Jesus Cristo. Ela é um movimento religioso global. Está aberta a todos no livro: CIÊNCIA E SAÚDE COM A CHAVE DAS ESCRITURAS, de autoria de Eddy.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s