Não é um Mandamento de Deus!

Paul Stark Seeley

DO Arauto da Ciência Cristã – 17 de junho de 2013

Publicado originalmente na edição de 15 de maio de 1948 do Christian Science Sentinel.

Há séculos, um escritor da Bíblia percebeu que só porque algum mortal diz que tal e tal coisa vai acontecer, isso não significa que as coisas que ele profetizou precisam ocorrer. Pense nestas palavras: “Quem é aquele que diz, e assim acontece, quando o Senhor o não mande”? (Lamentações 3:37).

Deus não pode ser deixado de lado. Aquilo que o Criador de todos nós não decreta não acontece. Pode alguma organização formada por mortais no Oeste, no Leste, no Norte ou no Sul dizer que algo capaz de afetar o bem no mundo possa se estabelecer quando “o Senhor o não mande”?

Mortais em posição de liderança, na política atual e em outras organizações, estão propensos a profetizar com relação ao futuro do mundo, a proclamar que a família humana deve ser colocada sob certa forma de sistema econômico, político ou religioso que tais líderes representam. Mas, quem, em verdade, é aquele que diz que qualquer forma de autocracia deve ser o destino da humanidade? Será que Deus abdicou de Seu governo? Será que o propósito do Criador foi sobrepujado? Pode a soberania da Mente universal, que é o Princípio divino, ser suplantada por qualquer mortal à busca de poder, sob qualquer disfarce?

Na proporção em que o progresso humano avança, há um poder que deve governar todos os homens na vida política, econômica, social e religiosa, e esse fato é tão certo quanto a existência da Verdade. Mas, esse poder não se encontra em uma política altamente sistematizada, criada pelo homem ou em uma hierarquia eclesiástica conduzidas por um pequeno grupo de mortais egoístas, voluntariosos e que têm um pensamento focado na matéria.

O único poder que fala e faz acontecer é o poder da inteligência una, auto-existente, a Mente única, o Princípio que é Deus. Diante dEle “se dobrará todo joelho, e toda língua dará louvores…” (Romanos 14:11). Tão certamente como cada dígito obedece ao princípio da matemática, assim, cada consciência individual, onde quer que pareça estar para o senso humano, deve ceder completa obediência à Mente causativa. A desobediência à Sua lei, por uma pessoa ou por milhões, é desconhecida para Deus. João viu que o governo do mundo seria como “uma vara de ferro”, mas essa vara é o Princípio ou Mente, firme, e que é o Amor.

Nestes dias memoráveis da história humana, deveríamos nos alegrar, pois assuntos tão vitais para a melhoria do mundo estão se tornando mais claramente definidos. O único mal, o senso material de mente, sem deus, seus modos, seus propósitos, seus métodos e suas agências estão aparecendo, livres e sem subterfúgios, à medida que a consciência humana se torna mais iluminada, com um senso mais claro de Deus como a Mente infinita, de quem as ideias corretas são o único verdadeiro animus governante dos homens. Essas legiões de anjos de pensamentos corretos, que se achegam, asseguram a justiça e soluções corretas para os problemas sociais, econômicos e políticos para cada raça e nação, e nada mais pode fazê-lo.

A Ciência Cristã instila em seus estudantes um senso destemido do futuro, porque lhes dá uma compreensão da onipotência sempre ativa do Deus eterno. Eles se tornam cada vez mais conscientes dessa verdade, que a materialidade ignorantemente renega, e que Jesus, com compreensão afirmou, quando disse: “…o reino de Deus está próximo…” (Marcos 1:15). O verdadeiro governo do homem já está estabelecido, definido por Deus, equitativo e livre.

Essa Ciência ajuda cada indivíduo a encontrar a sua própria individualidade e o senso espiritual do ser outorgados por Deus. Esse senso da Mente vê o que o olho não pode ver; ouve o que o ouvido não pode ouvir; sabe o que a mente material negativa não consegue saber, até mesmo a universalidade, onipresença e total abrangência da Verdade, Deus, a Mente, que inclui e governa seu universo de ideias, a sua manifestação.

A Ciência Cristã nega realidade ao conceito errôneo de vida inerente à mentalidade material, à individualidade mortal e à vontade humana. Esse conceito errôneo não é a vida verdadeira de ninguém, de nenhuma nação ou organização. A Ciência Cristã, portanto, não promove nenhuma animosidade pessoal contra ninguém, por mais que não concorde com o ponto de vista desse conceito errôneo. Ela vigorosamente condena o mal, mas não o indivíduo que, por falta de um senso mais elevado de vida e humanidade, erroneamente aceita o mal e o material como verdadeiros. Falando do ponto de vista do Cristianismo e da Ciência, Mary Baker Eddy afirma: “O mal não tem realidade. Ele não é pessoa, lugar nem coisa, mas é simplesmente uma crença, uma ilusão do sentido material” (Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras, p. 71).

Portanto, não importa o quanto o mal possa organizar, propagar, vangloriar-se, conspirar e reivindicar tudo para si mesmo, ele não pode fazer nenhum progresso real contra a supremacia de Deus. Ele está irremediavelmente preso em seu reino finito, incapaz de tomar para si mesmo a soberania natural ou o poder de Deus; impotente para estabelecer outro rei ou reinado. Ele está destinado à auto-destruição, mas não pode incluir, neste processo doloroso, a vida ou o destino de um único filho de Deus.

Vejamos o que o mal está preparando, mas não vamos temê-lo. Ele não tem os meios para realizar o que orgulhosamente anuncia. Ele é muito pequeno e chega muito tarde. “Disse-me [Deus]… Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim…” (Apocalipse 21:6). O status real do homem e a lei de sua vida já estão determinados. A Verdade eleva-se nas muralhas de sua infinidade e proclama: “Até aqui e não mais”! O mal se move em vão contra a rocha da justiça, contra nossa fé e compreensão de Deus. A fricção de sua própria falsidade o destrói e, diante da ideia verdadeira de Deus, da lei e do homem, ele deve finalmente afundar no esquecimento “sem o ressoar de sinos, sem sepulcros e desconhecido”.

Somente o que o Pai causa pode acontecer. Somente o governo e a igreja que a inteligência divina ordena podem permanecer. Já que o trabalho de Deus está completo, a marcha do progresso humano avança, não em direção ao governo de um autocrata que se impõe sobre todos, mas ao governo benéfico de todos por um Princípio comum, no senso divinamente ordenado do ser.

Sobre o futuro de eventos políticos e eclesiásticos no mundo, isto sempre será verdadeiro: “Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam…” (Salmos 127:1).

Anúncios

Sobre cienciacristabrasil

A Ciência Cristã ou Christian Science foi descoberta por Mary Baker Eddy em 1866, nas proximidades de Boston, MA, EUA. Baseia-se na vida, palavras e obras de Jesus Cristo. Ela é um movimento religioso global. Está aberta a todos no livro: CIÊNCIA E SAÚDE COM A CHAVE DAS ESCRITURAS, de autoria de Eddy.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s