Correntes que Moldam Nossas Vidas

L. IVIMY GWALTER

Da edição de julho de 1974 dO Arauto da Ciência Cristã

Já lhe ocorreu alguma vez quão importantes são as correntes? Existem correntes d’água, correntes de ar, correntes de pensamento e assim por diante. Elas moldam a história e nossas vidas.

Por exemplo, correntes d’água escavaram o Grand Canyon, famoso desfiladeiro nos Estados Unidos, trazendo à luz beleza em forma e cor indescritíveis. Correntes de água fluem através de lagos, evitando que as águas fiquem estagnadas. Também fluem em terrenos ressequidos, trazendo consigo a fertilidade e a colheita. Quedas d’água lançam-se sobre vales de verde luzuriante; riachos cantam nas florestas. Correntes de ar purificam a atmosfera, dissipam a fumaça e a neblina, limpam o ar, desfazendo a poluição.

As correntes de pensamento geram todas as mudanças sociais. Elas determinam a moda; influenciam na atmosfera mental de um país, de uma comunidade e de um lar. Moldam nossas leis, determinam os códigos de saúde de uma nação e estabelecem sua ordem social.

A corrente é fluida, é algo que escoa rapidamente, livre de qualquer obstrução. É sempre ação, nunca estagnação. Sem movimento ou ação, deixa de ser uma corrente. Essa ação não é espasmódica, movimentando-se apenas de tempos em tempos, mas é um fluir contínuo e ininterrupto.

Mary Baker Eddy, a Descobridora e Fundadora da Ciência Cristã* , escreve em Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras: “As correntes calmas e fortes da verdadeira espiritualidade, cujas manifestações são a saúde, a pureza e a imolação do próprio eu, têm de aprofundar a experiência humana, até que se veja que as crenças da existência material não passam de insolente imposição, e que o pecado, a doença e a morte cedem o lugar, para sempre, à demonstração científica do Espírito divino e ao homem de Deus, homem este espiritual e perfeito.” 1

As correntes de espiritualidade fluem de Deus; emanam da Mente, da Vida e do Amor. Não há grandeza de intelecto que possa reproduzir essas correntes. Elas originam-se na Divindade e permanecem no Espírito. São calmas, fortes e irresistíveis. Apesar de não serem visíveis aos sentidos humanos, essas correntes espirituais estão moldando o pensamento dos homens e modelando a vida humana. À medida que as admitimos conscientemente em nossa experiência, trazem às nossas vidas os recursos do Espírito, os recursos espirituais eternos e ilimitados do bem os quais purificam e elevam nossas vidas.

As correntes da Verdade são velozes, mas apesar de toda sua rapidez, a Verdade é calma; não obstante sua calma, a Verdade é forte, imediata, irresistível. Quanto necessitamos dessas correntes calmas e fortes em nossas vidas! Todo aquele que humildemente tenha se voltado a Deus em oração, sentiu de alguma maneira e em alguma ocasião, o efeito dessas correntes. O profeta Elias num momento de aflição ouviu “um cicio tranqüilo e suave” 2 . Para Jesus essas correntes espirituais eram o poder e a ação sempre presentes do Cristo, que acalmavam a tempestade, alimentavam a multidão e curavam os doentes.

A Ciência Cristã é a revelação completa e final da Verdade que, cumprindo a profecia, manifestou-se em nossa época. Ela flui em nossa experiência como correntes vitais de pensamento espiritual, transformando nossa vida, um pouco aqui, um pouco ali, cumprindo assim a promessa das Escrituras: “Águas arrebentarão no deserto e ribeiros no ermo. A areia esbraseada se transformará em lagos, e a terra sedenta em mananciais de águas.” 3Essas correntes não se constituem em canais isolados da Verdade. Constituem um único e infinito jorrar de uma única e infinita fonte, que está espiritualizando e elevando a consciência humana. É importante que compreendamos esse ponto, pois se essas correntes fossem isoladas e fragmentárias, logo secariam e desapareceriam.

Como podemos reconhecer essas correntes? Pela paz e alegria que criam em nossos corações. As correntes da Verdade jorram para o alto, elevando a humanidade rumo ao céu. Jorram para dentro dos escuros vales do sentido material e por entre eles, mas nunca saem para fora do Espírito, pois a Mente infinita é o centro e a circunferência do ser. Deus não conhece nenhuma circunferência que tenha algo acontecendo do lado de fora. Para a infinidade não existe lado de fora. Temos de compreender isso e agir de acordo com esse ponto de vista, se desejamos utilizar o poder do Espírito para mudar e deter as tendências de nossa época. As correntes da Verdade espiritualizam a consciência, fazendo com que a perspectiva da humanidade se afaste da doença e volva-se para a saúde, deixe o que é árido e busque o que é afluente, saia da escravidão e passe a gozar de liberdade.

Em oposição às correntes da verdadeira espiritualidade, parece ser universal a crença de existência material. Qual foi a atitude de Jesus com referência à crença de vida na matéria? Ele a refutou. Desde o nascimento até a ascensão, Jesus deu provas de que ela era falsa. Despojou a matéria de qualquer pretensão à realidade, quer como causa ou efeito, e ensinou seus seguidores a fazerem o mesmo.

É a existência material física ou mental? Essa é uma questão importante que todos nós temos de decidir, pois dessa resposta depende toda a nossa maneira de encarar a vida, inclusive no que concerne ao que recorremos em busca de cura. É a existência material uma experiência da mente mortal ou da matéria? Só pode ser da mente mortal, pois a matéria é uma imagem na mente mortal. Se não houvesse mente mortal para reconhecê-la e prolongá-la, não haveria matéria. A matéria é o estado subjetivo da mente mortal. É o que a mente mortal vê e acredita a respeito de si mesma, e não tem existência, nem semelhança com a realidade, fora daquilo que essa errônea e assim chamada mente lhe atribui. Temos de compreender que a matéria não é uma coisa ou uma substância na qual ou por meio da qual a mente mortal age. Ela em si mesma nada mais é do que mente, uma mente hipotética, que em realidade não existe. Deus é a Mente única.

A Ciência mostra que tudo o que é real, pertence ao reino da Mente perfeita. Denuncia a matéria como expressão errônea da Mente que é Deus. É assim que a Ciência Cristã cura por meios mentais apenas, pois se a matéria fosse alguma coisa fora da mente, e se existisse mais do que uma única Mente ou Espírito, então as condições físicas não poderiam ser curadas por meios metafísicos. Cristo Jesus provou isso. Ele nunca foi engolfado pelas correntes do erro, mas dominou-as, e deixou-nos seu exemplo.

A Sr.a Eddy refere-se às crenças da existência material como “descarada imposição”. Ela desmascara cada pretensão de vida na matéria como sendo uma crença que não tem lei na qual se apoiar, uma desilusão que é errado aceitar! Pense nisso! Todas as assim chamadas leis universais da existência material são uma imposição — as leis que dizem que a inteligência está sujeita à matéria, que o homem é vítima e objeto do hábito, da sensualidade e da luxúria; que ele tem de pecar e gosta de pecar; as leis que dizem que o homem adoece, torna-se débil, inútil, gasto, decrépito, envelhece e morre. Cada uma dessas assim chamadas leis, desprovida de lei, é uma grande desilusão, é fraude e mentira. Se o erro for despojado de lei, ele não terá em que se apoiar. Quem fez essa assim chamada lei de que o homem deve morrer? Quem fez essa assim chamada lei de que o homem é vitima indefesa do pecado e da sensualidade? Certamente que não foi Deus.

A próxima vez que a mente mortal tentar convencê-lo, lembre-se de que ela é uma imposição e não se deixe enganar. Devemos responder ao erro na forma como a Sr.a Eddy ensina. Diz ela: “A Ciência diz ao medo: «És a causa de toda doença; porém és uma falsidade constituída por si mesma — és escuridão, o nada. Estás sem “esperança, e sem Deus no mundo”. Não existes, e não tens direito de existir, porque “o perfeito Amor lança fora o medo”.»” 4

Nunca temos de nos render a imposições. Não somos vítimas indefesas de doenças, idade, acidente, dor ou pecado. Não há lei que os sustente. A Ciência Cristã exige que silenciemos o falso sentido mortal do eu, que nos elevemos acima do sentido corpóreo, e que deixemos que o pecado caia por falta de testemunhas que o apóiem. “As correntes calmas e fortes da verdadeira espiritualidade” devem aprofundar nossas vidas e limpar nossos corações. Então encontramos refúgio na Verdade.

As correntes de matéria e mente mortal pretendem jorrar como forças desenfreadas e destruidoras — correntes de medo, ódio, crime, inquietação; correntes de desrespeito à lei, imoralidade, sensualidade, vício de drogas e pecado. A mente mortal expressa-se em correntes de ignorância e superstição, de emoção e zelo desmedido. Tudo isso precisa ceder lugar, para sempre, às correntes da verdadeira espiritualidade.

A exigência de estarmos atentos — a exigência de crescermos espiritualmente — nunca foi tão grande como hoje em dia. Não podemos flutuar na superfície da Ciência Cristã e esperar ter sucesso com o uso de afirmações científicas, ou seja, com o uso de palavras que não estamos demonstrando em nossas vidas diárias. Também não podemos satisfazernos simplesmente com o fato de a Ciência Cristã nos tornar seres humanos melhores. Devemos ser não apenas Cristãos, mas Cientistas — pensando profundamente, estudando, orando, ponderando, demonstrando. Devemos estudar o livro-texto, Ciência e Saúde, não com o fim de adquirir proficiência intelectual para citá-lo, mas com vistas à iluminação espiritual para vivê-lo. E à medida que estudamos, devemos seguir o raciocínio de nossa Líder e assim partilhar de sua grande descoberta. A Verdade precisa desmascarar em nós, e eliminar de nós tudo o que seja contrário ao Cristo, para que possamos renascer do Espírito.

A Sr.a Eddy diz: “Aquele que proferiu o nome de Cristo, que virtualmente aceitou as exigências divinas da Verdade e do Amor na Ciência divina, está diariamente se afastando do mal; e todos os esforços malévolos dos supostos demônios jamais poderão impedir que a corrente daquela vida flua vigorosamente para Deus, sua fonte divina.” 5

“As correntes calmas e fortes da verdadeira espiritualidade” nunca nos deixam onde nos encontraram. Nunca convergem para coisa alguma que não seja a Vida eterna. Curam, purificam e santificam nosso ser; fluem por entre nossas vidas formando profundos desfiladeiros de beleza indescritível; aquecem as águas frias do temor e da dúvida com os caudais do Amor que reconforta; inundam os lugares ressequidos e áridos, formando lagos com reflexos radiantes; sopram para longe a névoa dos sentidos e ventilam o fogo que consome a palha até que encontremos nossa individualidade em Deus, e a consciência do Cristo, em toda a sua glória, reine triunfante.

* Christian Science — pronuncia-se: kris’tiann sai’ennss.  1 Ciência e Saúde, p. 99;  2 1 Reis 19:12;  3 Isaías 35:6, 7;  4 Retrospecção e Introspecção, p. 61;  5 Miscellaneous Writings, p. 19.

Anúncios

Sobre cienciacristabrasil

A Ciência Cristã ou Christian Science foi descoberta por Mary Baker Eddy em 1866, nas proximidades de Boston, MA, EUA. Baseia-se na vida, palavras e obras de Jesus Cristo. Ela é um movimento religioso global. Está aberta a todos no livro: CIÊNCIA E SAÚDE COM A CHAVE DAS ESCRITURAS, de autoria de Eddy.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s